Cabelos danificados? Nunca mais!

19:42 0 Comments



Muitas mulheres acabam danificando seus cabelos e, na hora de pentear, os fios ficam quebradiços. Nada mais triste para quem anseia ter cabelos lindos, brilhantes e cheios de vida. É preciso cuidar para que os fios cresçam sempre fortes e saudáveis. Para isso, seguir dicas simples e visitar o salão de beleza habitualmente é indispensável.
Tratamentos químicos, chapinha, secador, sol e mar são algumas das razões que podem danificar a fibra capilar. O cabelo fica frágil, sem brilho e com seu crescimento comprometido. Mas existem alguns cuidados diários que ajudam na recuperação da fibra. A princípio, é muito importante diminuir as agressões que ela sofre, por exemplo, evitando o uso do secador em altas temperaturas muito próximo aos cabelos.
Para recuperar os danos, a utilização de produtos adequados também é fundamental. Usar uma linha de tratamento que proporciona hidratação profunda aos cabelos, além de condicionar os fios, permite um pentear suave que não provoca a ruptura das delicadas fibras capilares. Ideal para manter a vitalidade das madeixas, né?!
E você sabia que o corte também influencia no crescimento saudável dos cabelos? Ele promove uma renovação dos fios e retira as pontas duplas, que fazem os cabelos crescerem mais lentamente. Podemos dizer que o corte é um estímulo para que os cabelos cresçam, na verdade. Além disso, a escovação diária também melhora a circulação do couro cabeludo e garante o crescimento dos fios.
Não se esqueça de dar um pulinho aqui no LirêdaCoiffeur. Nossos profissionais estão sempre à disposição para você. Eles podem fazer uma análise e constatar a real necessidade dos seus fios. Dessa forma você não precisa se preocupar nunca mais com cabelos opacos e sem vida!
Veja outras dicas básicas para manter um cabelo sempre lindo e cheio de vida:
- Nunca durma com os cabelos úmidos.
- Não lave os fios diariamente.
- Use sempre produtos indicados para o seu tipo de cabelo.
- Caso faça uso de tratamentos químicos, intensifique os cuidados.

Texto: André Salustino


0 opiniões: